15.1 C
Paraná
sábado, julho 13, 2024
spot_img
InícioCiênciaDuração de um dia em Marte está diminuindo

Duração de um dia em Marte está diminuindo

spot_img

Dados da sonda InSight Mars da Nasa sugerem que a rotação do Planeta Vermelho está acelerando a cada ano, levando a um encurtamento fracionário da duração do dia marciano.

A pesquisa, publicada recentemente, descobriu que a rotação de Marte em seu eixo está acelerando cerca de 4 milissegundos por ano – correspondendo a um encurtamento do dia marciano em uma fração de milissegundo por ano.

Cientistas, incluindo os do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, na Califórnia, não têm certeza do que está causando essa sutil aceleração da rotação do Planeta Vermelho, mas eles têm algumas ideias.

“Estive envolvido em esforços para colocar uma estação geofísica como a InSight em Marte por um longo tempo, e resultados como este fazem todas essas décadas de trabalho valerem a pena”, disse o coautor do estudo, Bruce Banerdt.

Na pesquisa, os cientistas fizeram as medições mais precisas da rotação de Marte, além de detectar como o planeta oscila devido ao “espalhamento” do núcleo de metal fundido.

O estudo suspeita que fatores como o acúmulo de gelo nas calotas polares de Marte ou a recuperação pós-glacial, onde as massas de terra sobem após serem enterradas pelo gelo, podem estar por trás dessa aceleração da rotação do planeta.

A Nasa compara essa mudança à mudança na velocidade de rotação a um patinador no gelo girando com os braços esticados e puxando os braços para dentro.

A nova pesquisa avaliou dados dos primeiros 900 dias marcianos do InSight para procurar variações na rotação do planeta.

Para o estudo, os cientistas usaram a Deep Space Network da NASA na Terra e os instrumentos da InSight – um transponder de rádio e antenas chamados coletivamente de RISE.

Eles transmitiriam um sinal de rádio para o módulo de pouso usando a Deep Space Network, que o RISE refletiria de volta para a Terra.

No sinal refletido, os pesquisadores procurariam pequenas mudanças na frequência causadas pelo deslocamento Doppler – o mesmo efeito que faz com que uma sirene de ambulância mude de tom conforme se aproxima e se afasta.

Ao medir essa mudança, eles poderiam determinar a velocidade com que o planeta gira.

“O que estamos procurando são variações de apenas algumas dezenas de centímetros ao longo de um ano marciano. Leva muito tempo e muitos dados para acumular antes que possamos ver essas variações”, disse o principal autor do estudo, Sebastien Le Maistre, do Observatório Real da Bélgica.

“Gastamos muito tempo e energia nos preparando para o experimento e antecipando essas descobertas. Mas, apesar disso, ainda fomos surpreendidos ao longo do caminho – e não acabou, já que o RISE ainda tem muito a revelar sobre Marte”, disse o Dr. Le Maistre.

As novas descobertas sugerem que há uma “lenta aceleração” na taxa de rotação marciana.

Os cientistas concluem que isso pode ser uma indicação de uma “tendência de longo prazo” na dinâmica interna de Marte ou em sua atmosfera e calotas polares.

spot_img
spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

hot news

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui