16.2 C
Paraná
terça-feira, maio 21, 2024
InícioEducaçãoProjeto de lei proposto por aluno é vencedor do...

Projeto de lei proposto por aluno é vencedor do Geração Atitude 2023

spot_img

O projeto de lei de autoria de Robson Silva de Quevedo, aluno do Colégio Estadual General Carneiro, município de Roncador, Núcleo Regional de Educação de Campo Mourão, foi o vencedor no programa Geração Atitude 2023. A proposta é que sejam adotadas na rede estadual ações voltadas ao direcionamento profissional dos estudantes. Vencedor entre 32 finalistas, o projeto pode vir a ser apresentado pela Mesa Executiva da Assembleia Legislativa e, eventualmente, implementado no Estado.

Voltado a estudantes do ensino médio da rede estadual, o Geração Atitude é desenvolvido pela secretaria estadual da Educação (Seed), Ministério Público, Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça e o Governo do Estado e tem por objetivo despertar o interesse dos jovens para temas como cidadania, democracia, política, eleições, voto consciente e o funcionamento de órgãos públicos.

Robson, sob supervisão da professora Veronice Divino, elaborou a proposta de instituir na rede estadual programa voltado à capacitação e orientação técnico-profissional dos estudantes, por meio de testes vocacionais. Além disso, o projeto de lei prevê também a criação da Semana Estadual da Conscientização Profissional.

“A ideia é que os testes vocacionais, presenciais ou online, sejam ofertados gratuitamente pela Secretaria da Educação, com orientações sobre carreiras profissionais, por meio de palestras e eventos ministrados por representantes de diferentes áreas”, defendeu Robson. “Caso se transforme em lei estadual, vou ficar muito feliz em ter contribuído para que os alunos possam ter ferramentas para escolher que profissão seguir”, afirma.

Os outros dois projetos, das 2ª e 3ª colocações, também tiveram como foco a área da educação. O projeto de lei de Jonas Jorge Guerra, do Colégio Estadual Barão do Rio Branco, do município de Inajá, núcleo de Paranavaí, prevê a disponibilização, pelo Governo do Estado, de cursos preparatórios para vestibulares e para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nas escolas públicas.

O trabalho conquistou o 2º lugar na premiação. Para sua elaboração, Jonas contou com a orientação da professora Mariana Cardoso Baski. “Minha ideia é viabilizar uma forma de proporcionar aos alunos de escolas públicas mecanismos para que se preparem melhor para as provas”, justificou.

A terceira colocação ficou com o projeto de Lara Cristina Flametti Manfredi, do Colégio Estadual do Campo Flor da Serra, município de Realeza, Núcleo Regional de Francisco Beltrão, sob a supervisão do professor Fernando Mantela dos Santos. Propõe a inserção, no currículo das escolas do campo, de aulas sobre temas ligados à zona rural, como segurança rural, produção de orgânicos e manejo de animais de médio e grande porte, por meio de convênios com universidades, por exemplo. “Sou moradora do meio rural e gostaria de não precisar sair para buscar trabalho no futuro”, afirmou.

O projeto Geração Atitude está na 8ª edição. Em 2023, recebeu mais de 400 propostas desenvolvidas por estudantes da rede estadual de ensino. “Essa etapa em que eles vieram para Curitiba, visitaram as sedes dos órgãos públicos e apresentaram seus projetos é o ápice de um trabalho que acontece desde o início do ano em sala de aula. Estamos muito felizes com o nível dos projetos apresentados pelos alunos. Nosso balanço é muito positivo”, ressalta Ronise Feuser, coordenadora do Geração Atitude na Secretaria da Educação. “O resultado não se resume aos 32 projetos que foram apresentados hoje, mas faz parte da construção da cidadania em um trabalho que vai se multiplicar”, complementa.

O professor Dilvano Leder de França, técnico pedagógico do Departamento de Programas para a Educação Básica da Secretaria da Educação, explica como se deu a escolha dos alunos do programa Geração Atitude para a etapa final, a Caravana da Cidadania, e de como ele foi aplicado nas escolas.

“O programa é feito em várias etapas e elas incluem, primeiramente, o trabalho com os professores na escola, com o Guia do Cidadão, quando se trabalha temáticas que envolvem cidadania, o processo de não corrupção e voto. Além disso, eles recebem a visita nas escolas de promotores da equipe do Ministério Público, que fazem palestra e tiram dúvidas”, explicou o professor.

“A partir disso, os alunos começam a elaborar seus projetos junto com os professores. Nesta edição, foram mais de 20 mil estudantes participando. A escola monta uma comissão de professores e equipe pedagógica, que elegem os três melhores. Estes são submetidos à Assembleia Legislativa e aí chegamos aos 32 que estão aqui hoje”, conta França.

Nestas etapas, os estudantes passam a conhecer o que é um projeto de lei, como ele é construído, como se dá o processo democrático. “O processo de construir uma ideia e transformá-la em proposta ajuda a formar cidadãos mais conscientes sobre política” , diz o diretor legislativo da Assembleia, Dylliardi Alessi, o anfitrião do grupo na Casa.

O grupo chegou a Curitiba no início da semana. No primeiro dia de trabalho, os alunos e professores visitaram a sede do Ministério Público e do Poder Executivo, o Palácio Iguaçu. Assistiram palestras e entenderam mais sobre as funções e obrigações de cada uma das instituições.

Após a apresentação dos projetos no Plenário da Assembleia Legislativa, o grupo visitou o Museu Oscar Niemeyer (MON). “Eu adorei cada um dos momentos que passei aqui. Me senti um pouco protagonista desse processo mesmo. Tudo muito enriquecedor”, resumiu Ana Luisa Possetti Godoi, do Colégio Machado de Assis.

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

hot news

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui