15.9 C
Paraná
domingo, junho 23, 2024
InícioDestaquesAlienígenas enviam sinal de rádio para os terráqueos

Alienígenas enviam sinal de rádio para os terráqueos

spot_img

Após as imagens do Telescópio James Webb o mundo voltou a se perguntar se existe vida além da Terra, pode ser que sim, astrônomos do MIT (Instituto de Tecnologia de Massuchesets) divulgaram uma nota onde relatam ter detectado um sinal de rádio de uma galáxia distante, alguns dizem que seria um sinal alienígena, outros tem teorias conservadoras.

O sinal está localizado a vários bilhões de anos-luz da Terra, segundo membros da membros da Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment (CHIME)/FRB Collaboration.

O portal da FoxNews explica que o BCHIME é um radiotelescópio interferométrico do Dominion Radio Astrophysical Observatory, na Colúmbia Britânica, Canadá. Ele foi projetado para detectar ondas de rádio emitidas pelo hidrogênio nos estágios iniciais do universo e detectou centenas de FRBs.

FRBs são flashes de ondas de rádio de duração de milissegundos que são visíveis a distâncias de bilhões de anos-luz. A primeira FRB foi descoberta há 15 anos; centenas de flashes de rádio semelhantes foram detectados, embora a maioria dos FRBs observados tenham sido pontuais.

Exatamente qual é a fonte do FRB, rotulado FRB 20191221A, permanece um mistério.

Os astrônomos teorizam que o sinal repetido pode vir de um magnetar ou de um pulsar de rádio – tipos de estrelas de nêutrons – “em esteróides”. As estrelas de nêutrons são núcleos densos e giratórios de estrelas gigantes.

No entanto, é a duração do FRB 20191221A que é mais notável.

O sinal de rádio, que foi captado em dezembro de 2019, dura até três segundos, ou cerca de 1.000 vezes mais que o FRB médio.

“Foi incomum”, lembra Daniele Michilli, pós-doutorando no Instituto Kavli de Astrofísica e Pesquisa Espacial do MIT, em um comunicado. “Não só era muito longo, durando cerca de três segundos, mas havia picos periódicos que eram notavelmente precisos, emitindo cada fração de segundo – boom, boom, boom – como um batimento cardíaco. Esta é a primeira vez que o sinal em si é periódico .”

Atualmente, é o FRB de maior duração com o padrão periódico mais claro até agora e a equipe detectou rajadas de ondas de rádio que se repetem a cada 0,2 segundos em um padrão claro.

“A longa (aproximadamente [3 segundos]) de duração e nove ou mais componentes que formam o perfil de pulso tornam esta fonte uma exceção na população FRB. Essa periodicidade curta fornece forte evidência para uma origem de estrela de nêutrons do evento. A detecção favorece a emissão proveniente da magnetosfera da estrela de nêutrons, em oposição às regiões de emissão localizadas mais distantes da estrela, como previsto por alguns modelos”, escreveu o grupo.

Além disso, o FRB 20191221A parece ser mais de um milhão de vezes mais brilhante do que as emissões de rádio de nossos próprios pulsares e magnetares galácticos.

“O CHIME agora detectou muitos FRBs com propriedades diferentes”, observou Michilli. “Vimos alguns que vivem dentro de nuvens muito turbulentas, enquanto outros parecem estar em ambientes limpos. Pelas propriedades desse novo sinal, podemos dizer que ao redor dessa fonte existe uma nuvem de plasma que deve ser extremamente turbulento.”

A equipe pretende detectar mais sinais dessa fonte, que o MIT disse em um comunicado que poderia ser usada como um “relógio astrofísico” – talvez até medindo a taxa na qual o universo está se expandindo.

Michilli disse que os futuros telescópios prometem descobrir milhares de FRBs por mês, o que pode levar à detecção de “muitos mais desses sinais periódicos”.

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

hot news

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui