Curitiba inicia testes com ônibus elétrico da BYD

0
(Foto: Pedro Ribas/SMCS)
Publicidade

O ônibus elétrico da chinesa BYD iniciará seus testes no transporte público na Prefeitura de Curitiba na sexta-feira, 28 de abril. O modelo articulado percorrerá o Eixo Leste/Oeste e as linhas Interbairros II e Inter 2 sem passageiros. Na manhã desta quinta-feira, 27 de abril, o prefeito em exercício, Eduardo Pimentel, visitou e dirigiu o veículo.

“Os testes técnicos dos ônibus elétricos sinalizam o início de uma nova era na tecnologia e inovação do transporte público”. Eduardo Pimentel afirmou: “Curitiba está fazendo uma transição gradual e organizada para a matriz elétrica no transporte público, a fim de reduzir as emissões de gases de efeito estufa”.

Sem emissões de CO2 e clamores, o transporte elétrico é encarado como destino da portabilidade em grandes centros urbanos e é um dos planos fundamentais da cidade para os próximos anos, dentro da obrigação de diminuir as descargas de venenos. Os primeiros ônibus elétricos da capital serão adquiridos em 2024, segundo anúncio de R$ 200 milhões.

Até 2030, 33% da frota de ônibus de Curitiba deve ser livre de emissões no médio prazo; como parte do Plano de Ação Climática (PlanClima), liderando ações globais de sustentabilidade, atingindo 100% até 2050.

De acordo com o prefeito em exercício, o objetivo é melhorar a qualidade de vida dos curitibanos, oferecendo transporte público eficiente, sem emissões e com bom custo-benefício, que cobre mais rotas em menos tempo.

Eduardo Pimentel enfatizou: “Uma das linhas que vão rodar os ônibus elétricos é a nova Inter 2, para a qual tive a oportunidade de assinar editais para obras no valor de R$ 863,7 milhões com financiamento do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento )”

O teste da BYD sinaliza o início de uma série de estimativas técnicas que servirão para preparar o edital em 2024 para a compra dos primeiros ônibus elétricos que farão parte da frota municipal. Os ônibus vão operar nas linhas Leste Oeste Inter II, Interbairros 2 e Eixo, que transportam cerca de 370 mil passageiros por dia. 70 veículos elétricos são a meta inicial.

Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbanizaço de Curitiba (Urbs), afirma que a linha Interbairros II deverá ser utilizada pelos primeiros ônibus elétricos adquiridos. O projeto de fixação ainda não foi caracterizado.

A migração de energia exigirá infraestrutura de suporte, como estações de recarga de veículos, além de ônibus.

Como seus portões de embarque estão do lado esquerdo e não do lado direito, conforme exigido pelas operações de transporte público, o ônibus BYD operará sem passageiros. Supondo que passe pelas apurações, de qualquer forma, o transporte deverá ser entregue dentro das fichas do município”, acrescenta Celso Lúcio, chefe da região de apuração e confirmação da armada da Urbs.

O veículo será carregado com tambores de água para se assemelhar ao peso equivalente dos passageiros. O modelo D11B é um ônibus articulado de piso baixo com carroceria Marcopolo com capacidade para 170 passageiros, autonomia de 400 quilômetros e bateria que pode ser carregada em quatro horas.

O parceiro de projeto da BYD, Enel X, é responsável pela infraestrutura de energia. À noite, a garagem da Glória carrega as baterias do veículo. Quinze motoristas, incluindo duas mulheres, estavam preparados para dirigir o transporte BYD durante o julgamento.

A ideia é comparar o desempenho do ônibus em diversas condições e características da via por meio da variação de carga, que envolve encher os tambores com mais ou menos água em horários específicos.

Durante a circulação do carro serão avaliados aspectos como o desempenho do ônibus nas comemorações topográficas (subidas, subidas e descidas) e o cumprimento da autonomia recomendada.

A chinesa BYD está no Brasil desde meados de 2015, quando inaugurou sua mais memorável fábrica de coleta de transportes 100% elétricos, em Campinas (SP). A empresa afirma que o ônibus elétrico em teste evita a emissão de 184 toneladas de CO2 anualmente, ou o equivalente ao plantio de 1.311 árvores.

Eletra, Volvo, Mercedes, Higer e Marcopolo, além da BYD, produziram testes e oito veículos que serão testados até outubro.

A Higer, montadora chinesa, demonstrou seu ônibus elétrico em Curitiba em cinco linhas de transporte público em setembro do ano passado. Nesse ponto, 3.923 pessoas utilizaram o veículo. Neste ano, a Higer deve realizar testes como parte do edital de avaliação técnica.

Ônibus a gás natural também serão testados como parte do plano de Curitiba para reduzir a poluição. Desde o dia 17/04, um veículo Scania a gás de petróleo está sendo testado na linha Cabral/Portão.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui