17.5 C
Paraná
quarta-feira, julho 17, 2024
spot_img
InícioLitoralFauna de Matinhos se renova com a revitalização da...

Fauna de Matinhos se renova com a revitalização da orla

spot_img

As obras de revitalização da Orla de Matinhos, realizadas pelo Governo do Estado por intermédio do Instituto Água e Terra (IAT) desde o ano passado, estão trazendo grandes benefícios para o ecossistema do litoral paranaense. A ampliação da faixa de areia e da área de restinga, com o plantio de espécies nativas, atraíram diferentes animais típicos das regiões costeiras do País, como corujas-buraqueiras (Athene cunicularia) e caranguejos maria-farinha (Ocypode quadrata), entre outros. Anteriormente, em razão da erosão, da vegetação formada por plantas invasoras e das fortes ressacas, houve uma importante diminuição da população da fauna no local.

“A biodiversidade é essencial para a manutenção da qualidade ambiental mesmo em áreas urbanas. Como esses animais estão voltando a frequentar a orla, é importante que o desenvolvimento do Litoral esteja sempre alinhado com a preservação dessas espécies e de outras que podem potencialmente ocupar aquele espaço”, explica a bióloga do Escritório Regional do IAT no Litoral, Mayara dos Santos Rodrigues.

As duas espécies, destaca ela, possuem hábitos noturnos, mas costumam aparecer à luz do dia para procurar alimento na areia ou na vegetação costeira. As maria-farinhas são crustáceos amarelos que se alimentam de tatuíras, mariscos, insetos e outros animais mortos trazidos pela maré. Já as corujas-buraqueiras são conhecidas por cavar buracos no meio da vegetação das dunas para construir ninhos. Elas possuem um papel ecológico importante para a praia, ao ajudar no controle biológico da população de insetos do local.

As equipes do Consórcio DTA/ACQUAPLAN, responsáveis pelos programas de monitoramento ambiental das obras, observaram maria-farinhas jovens no período da transição do outono para a primavera. As corujas, por sua vez, foram avistadas pela primeira vez na orla em julho deste ano. No mês passado, por exemplo, um casal foi registrado cuidando de um filhote em um dos canteiros de recuperação da praia.

Como explica Maristela Bueno, bióloga do consórcio encarregada pelo acompanhamento da espécie, a presença dos animais é um sinal positivo para a saúde do ecossistema da orla. “Do ponto de vista ecológico, esta espécie de caranguejo desempenha um papel crucial ao conectar os ambientes marinho e terrestre, facilitando a transferência de energia entre os ecossistemas, o que indica a recuperação ambiental da praia. E a continuidade desse monitoramento nos permitirá determinar se essas populações estão se estabelecendo de forma consistente”, diz ela.

Ainda de acordo com Maristela, a aparição destas aves está ligada diretamente ao plantio da restinga nativa nas intervenções da orla. Por meio de um investimento de R$ 268 mil, os balneários estão recebendo mudas de plantas rasteiras próprias para o crescimento nas dunas, como Blutaparon, Canavalia, Hydrocotyle e Ipomea em uma área de 5,03 hectares (50.308 metros quadrados), uma ampliação de 100% em relação aos 2,5 hectares da praia ocupados pela vegetação antes do início das obras.

“A plantação da vegetação traz muitos benefícios. Além de ajudar a conter a erosão, as plantas fazem uma barreira de proteção que ajuda a conter o avanço do mar no caso de ressacas e ventanias, contribuindo para o estabelecimento da fauna costeira na praia”, afirma.

A ampliação da faixa de areia e o replantio da vegetação nativa são apenas algumas das intervenções em execução na orla marítima de Matinhos.

A obra de revitalização foi dividida em duas etapas, com investimento total de R$ 500 milhões. A fase inicial, com orçamento de R$ 314,9 milhões, já está 89% concluída e deverá ser entregue até o segundo semestre de 2024. Inclui a execução de serviços de engorda da faixa de areia por meio de aterro hidráulico, estruturas marítimas semirrígidas, canais de macrodrenagem e redes de microdrenagem.

Além do sistema de drenagem, as obras contemplam a melhoria da pavimentação asfáltica e recuperação de vias urbanas. O objetivo é minimizar os impactos gerados pela combinação do desequilíbrio de sedimentos, ocupações mal planejadas e fenômenos naturais, como chuvas fortes e ressacas que costumeiramente atingem o Litoral.

As intervenções serão feitas ao longo de 6,3 quilômetros entre o Morro do Boi e o Balneário Flórida. Em uma segunda etapa, ainda sem previsão de data, será recuperado o trecho de 1,7 quilômetro entre os balneários Flórida e Saint Etienne. Haverá, também, a instalação de novos equipamentos urbanos, como ciclovia, pista de caminhada e corrida, pista de acessibilidade e calçada.

spot_img
spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

hot news

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui