15.9 C
Paraná
domingo, junho 23, 2024
InícioAgronegócioProdução de hidrogênio renovável entra na pauta política no...

Produção de hidrogênio renovável entra na pauta política no Paraná

spot_img

A produção de hidrogênio renovável no Paraná, a partir da biomassa, vem sendo um dos temas mais discutidos no Estado nos últimos meses e um simpósito realizado em Curitiba tratou do tema na agropecuária, colocando na pauta “Paraná em Perspectiva: Agro e Sustentabilidade” com a participação do gpvernador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) e do secretário de Planejamento, Guto Silva..

O assunto primeireiramente foi levantado na abertura do evento pelo governador Ratinho Juniorr, pois o Paraná ganhou destaque por aliar a descarbonização da economia à estratégia de dar um aproveitamento rentável ao produtor e uma destinação ecologicamente correta aos rejeitos agropecuários no campo, provenientes principalmente do cultivo de cana-de-açúcar, mandioca e cada vez mais elevada produção de proteína animal.

O Paraná, afirmou o secretário, se encontra em uma das maiores janelas de transformação no país e o hidrogênio renovável está no centro dessa transição. 

“Nosso Estado tem toda condição de liderar a questão de transição energética no mundo, que está olhando o hidrogênio como o combustível dessa nova era. As pesquisas apontam que esse hidrogênio, a grande força matriz, será oriunda de biogás e biomassa, da qual o Paraná, pela nossa produção de frango, suíno e cana-de-açúcar, tem condições de liderar, visto o volume de biomassa e biogás, gerado no Estado. É nessa cadeia que estamos apostando”, disse.

O consultor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) no Paraná, Rodrigo Régis, explicou que não é possível mais pensar a eficiência da produção energética de uma região somente do ponto de vista da quantidade de kW/hora. Segundo ele, além de aumentar a produção, o hidrogênio será um vetor importante de eficiência energética não só na descarbonização da economia, como também na necessária transição energética na indústria.

COOPERATIVISMO – No encontro, Régis ressaltou às  a importância da aproximação da nova matriz, mostrando que o grande ponto da transição energética no mundo passa pela biomassa e que o Paraná tem grande potencial para desenvolver essa nova cadeia. 

O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, também frisou a importância das cooperativas no desenvolvimento das energias renováveis no Paraná. “As cooperativas têm grandes investimentos em agroindústria e, em especial, na área animal. Há muito passivo ambiental nessa área e, se a gente não investir em uma solução para os dejetos, isso pode inviabilizar, inclusive, vários investimentos futuros”, explicou Ricken.

Segundo ele, a estratégia do governo é acertada e pode “transformar esse limão em uma limonada”. Ele afirmou que o produtor, ao perceber que a produção de hidrogênio a partir da biomassa e biogás pode gerar renda, vai encarar como uma grande oportunidade. “Ainda ainda há muito o que fazer, tudo precisa estar regulamentado e a solução não vem de imediato, mas a médio e longo prazo isso deve ser a salvação, talvez, das próprias atividades”, afirmou Ricken. 

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

hot news

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui