InícioSaúdePorque quando envelhecemos leva mais tempo para cicatrizar feridas?

Porque quando envelhecemos leva mais tempo para cicatrizar feridas?

spot_img

Em uma visita recente ao hospital, uma paciente de 83 anos foi internada após desenvolver uma ferida infectada na perna. O incidente começou de forma sutil quando ela se cortou acidentalmente na borda afiada de uma mesa. Apesar da ferida não cicatrizar, ela a ignorou até sentir uma dor significativa duas semanas depois. A presença de sinais de infecção levou sua filha a chamar o 911. A equipe médica tratou a infecção com antibióticos intravenosos, resolvendo-a com sucesso. No entanto, o fechamento completo da ferida levou mais de um mês, indo além da alta hospitalar.

Um contraste notável surge ao comparar o processo de cicatrização desta paciente idosa ao de uma criança saudável com um corte. Enquanto as feridas das crianças costumam cicatrizar rapidamente, os idosos enfrentam um processo de cicatrização retardado devido aos efeitos do envelhecimento em vários tecidos, especialmente evidente em feridas na pele.

Tradicionalmente, a cicatrização de feridas compreende três estágios. O estágio da inflamação envolve a tentativa do corpo de limpar a ferida, com células imunes removendo bactérias e eliminando detritos. O estágio regenerativo segue, onde a pele danificada se regenera por meio da divisão celular e da formação de uma estrutura de suporte chamada matriz extracelular. Esta fase fecha a ferida, restaurando uma barreira protetora. A fase final de remodelagem ocorre ao longo dos anos, fortalecendo a nova pele por meio de vários processos.

O envelhecimento interrompe a progressão ordenada desses estágios de cicatrização, principalmente por meio de doenças relacionadas à idade, como o diabetes, que estreita os vasos sanguíneos, prejudicando a entrega de nutrientes e oxigênio crucial para a fase regenerativa.

Além das doenças relacionadas à idade, as células em si envelhecem, com células senescentes perdendo permanentemente a capacidade de se dividir. Acumulando-se em vários órgãos, essas células liberam subprodutos tóxicos, danificando o tecido circundante e alimentando a inflamação. Esse ciclo dificulta a regeneração e cicatrização bem-sucedidas.

Embora a pele forneça uma visão visível dos desafios de cicatrização relacionados à idade, todos os tecidos são suscetíveis aos efeitos do envelhecimento. Os tratamentos atuais para feridas, muitas vezes desatualizados e ineficazes, incluem trocas de curativos, antibióticos e tratamento em câmara de oxigênio de alta pressão. Apesar dessas opções, o otimismo persiste para futuras terapias que aproveitem os avanços na compreensão do processo de envelhecimento.

spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

hot news

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui